Ácido fólico X Folato: diferença crucial que você precisa saber

14 Ago 2017

Você já sabe que existe uma lei no Brasil que torna obrigatória a fortificação das farinhas de trigo e as de milho com ferro e ácido fólico, não é? Portanto, cada 100 g de farinha de trigo e milho deve fornecer, no mínimo, 4,2 mg de ferro e 150 mcg de ácido fólico. Isso foi uma atitude do governo de prevenir e controlar o crescimento da anemia e reduzir risco de doenças do tubo neural e da mielomeningocele nas crianças ao nascer.

Mas o que você pode ainda não saber é que ácido fólico e folato NÃO são sinônimos! O folato é a forma natural da vitamina B9, e obtido através de diversos alimentos e que protege contra câncer de mama, de próstata, é essencial ao corpo pra rápida divisão celular e é essencial pra adequados desenvolvimentos cerebrais e de nervos. Lembre-se disso: ácido fólico está envolvido na síntese e metilação de DNA (metilação é o processo natural que ocorre na citosina, uma das quatro bases que compõem o DNA - conhecidas pelas letras A, T, C, G - quando essas pequenas moléculas chamadas “grupos metil” agem sobre a citosina - a letra C- o gene fica inativo). Sua deficiência leva à anemia, ao aumento da incidência de doença do tudo neural, aumenta risco de certos tipos de câncer e aumenta a Homocisteína – um fator de risco pra doenças cardiovasculares, AVC e outras doenças. As melhores fontes vegetais ricas em folato alimentar são: aspargos, mostarda, lentilha, couve, brócolis, feijão azuki, couve-flor, alface, espinafre, abacate, papaia, laranja, beterraba, avêlas, amora, nozes, girassol, couve, rúcula, ervilhas, cogumelos e etc (aliás, falando em cogumelos, aprenda a prepara-los aqui: https://www.youtube.com/watch?v=XpC0JM3ADho&t=13s). O ácido fólico é a FORMA SINTÉTICA de FOLATO. O ácido fólico é quimicamente diferente de folato, o que resulta em diferenças na absorção e no processamento destas duas substâncias pelas células de seu intestino. E lembrem-se que o ÁCIDO FÓLICO é o usado na fortificação de alimentos, como cereais, pães, massas e produtos enriquecidos no mercado. Trabalhos já mostraram também que essa suplementação de ÁCIDO FÓLICO, essa forma sintética, é maléfica em pessoas com mutações da enzima MTHFR, o que dificulta o corpo dessas pessoas em converter ácido fólico sintético ao folato – a forma ativa. E isso acaba bloqueando o corpo da absorção efetiva de folato! Um dos maiores riscos em se consumir excesso de ácido fólico (através da suplementação) é o aumento no risco de câncer. Um estudo publicado em NCI J Natl Cancer Inst (2009) mostrou que a suplementação de 1 mg de ácido fólico foi associado com aumento do risco de câncer de próstata. Uma ingestão alta de ácido fólico pode mascarar uma deficiência de B12 e levar à deterioração da função de sistema nervoso central na velhice. Dados de 2009 no European Journal of Gastroenterology & Hepatology e no American Journal of Clinical Nutrition já apontavam que as mulheres que tomaram polivitamínicos contendo ácido fólico - ou somente tomando o ácido fólico - tinham maior probabilidade de ser diagnosticadas com câncer de mama do que aquelas que não o fizeram. Suplementar com ácido fólico aumentou o risco de 30% de adquirir câncer de mama e as crianças tiveram aumento de 25% de asma infantil e depois ainda acabam não tendo uma alimentação saudável na adolescência.

O mais alarmante foi outro estudo que comparou as mulheres que tomaram ácido fólico durante a gravidez para aquelas que não tomaram. Mais tarde, aquelas mulheres que receberam uma dose de ácido fólico durante a gravidez tinham duas vezes mais probabilidade de morrer de câncer de mama.

Mas não é só as mulheres ou os filhos que são afetados, o estudo também mostrou que os homens que tomam polivitamínicos com ácido fólico ou somente o ácido aumenta o risco de câncer de próstata em 163%. E ainda o seu risco de ter um adenoma colorretal em 35%, um passo para o Câncer Colorretal. Se o ácido fólico pode ter estes efeitos perigosos, por que é incluído na maioria dos polivitamínicos, vitaminas pré-natais e farinhas? Boa pergunta…… Por isso, cuidado com os suplementos sintéticos de ácido fólico que você anda tomando (e o excesso de farinha de trigo e de milho em sua dieta). A maioria esmagadora dos suplementos de A-Z comercializados na farmácia contém essa forma sintética, viu? As formas naturais de folato são melhores, ou seja, as que conseguimos através dos alimentos. E claro, se você é mulher e pretende engravidar – ou já está grávida – a suplementação dessa vitamina se faz necessária, conforme reforçado por diversos trabalhos (e confesso que é difícil alcançar toda a quantidade necessária dessa vitamina através apenas na dieta nessas fases de vida). Mas você já deve ter entendido que a melhor forma da suplementação – quando a mesma for necessária – é a forma ativa, ou seja, o folato, e não ácido fólico. Geralmente vem escrito 5-MTHF (5 metil tetra hidro folato, e não ACIDO FOLICO, no rótulo). Consulte sempre um nutricionista e médico pra ajustar isso pra você, e ver a real necessidade (e qual quantidade!) precisará receber através da suplementação. E para as demais pessoas, a dieta tem que ser bem elaborada para que sejam consumidas adequadas quantidades dessa vitamina, sem precisar adicionar na forma de suplementos. Para isso, consulte sempre um nutricionista! Comam algo saudável por mim. Priscila Di Ciero

Referências bibliográficas:

Stolzenberg-Solomon RZ et al. Folate intake, alcohol use, and postmenopausal breast cancer risk in the Prostate, Lung, Colorectal, and Ovarian Cancer Screening Trial. Am J Clin Nutr. 2006 Apr;83(4):895-904.
Kim YI. Does a high folate intake increase the risk of breast cancer? Nut Rev; 2006; 64(10PT1) 468-75.
Figueiredo JC et al. Folic acid and risk of prostate cancer: results from a randomized clinical trial. J Natl Cancer Inst. 2009 Mar 18;101(6):432-5. Epub 2009 Mar 10.
Fife, J et al. Folic Acid Supplementation and Colorectal Cancer Risk; A Meta-analysis. Colorectal Dis. 2009 Oct 27. [Epub ahead of print]
Whitrow MJ, Moore VM, Rumbold AR, Davies MJ. Effect of supplemental folic acid in pregnancy on childhood asthma: a prospective birth cohort study. Am J Epidemiol. 2009 Dec 15;170(12):1486-93
Haberg SE, London SJ, Stigum H, Nafstad P, Nystad W. Folic acid supplements in pregnancy and early childhood respiratory health. Arch Dis Child. 2009 Mar;94(3):180-4. Epub 2008 Dec 3.
Ebbing M et al. Cancer Incidence and Mortality After Treatment With Folic Acid and Vitamin B12. JAMA. 2009;302(19):2119-2126.
Charles D et al. Taking folate in pregnancy and risk of maternal breast cancer. BMJ 2004;329:1375–6
Harvard School of Public Health; The Nutrition Source: Keep the Multi, Skip the Heavily Fortified Foods; www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/what-should-you-eat/folicacid/ Date accessed: 8/29/08.
Hirsch S et al. Colon cancer in Chile before and after the start of the flour fortification program with folic acid. Eur J Gastroenterol Hepatol. 2009 Apr;21(4):436-9.
Sellers TA et al. Dietary folate intake, alcohol, and risk of breast cancer in a prospective study of postmenopausal women. Epidemiology. 2001 Jul;12(4):420-8.
Figueiredo J, et al “Folic acid and risk of prostate cancer: results from a randomized clinical trial” J Natl Cancer Inst 2009; DOI: 10.1093/jnci/djp019.
Kristal A, Lippman S “Nutritional prevention of cancer: new directions for an increasingly complex challenge” J Natl Cancer Inst 2009; DOI: 10.1093/jnci/djp029.

Comentários

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.





Memorizar dados