Beta alanina para quem treina

01 Nov 2010

Exercícios intermitentes de alta intensidade diminuem estoques de substratos energéticos, seguido de acúmulo de metabólitos, promovendo adaptações fisiológicas crônicas.

A beta alanina é um aminoácido não essencial que, ao entrar na célula muscular, é base para sintetizar a carnosina – dipeptídeo citoplasmático que evita que o nível de pH muscular não desça a ponto de provocar o esgotamento físico, retardando fadiga muscular (que muitas vezes leva o atleta ou praticante do exercício a desistir).

Basicamente, quanto maior a quantidade de carnosina, melhor a performance. Enquanto ela e sintetizada na musculatura através da histidina e da beta alanina, o aminoácido limitante e a beta alanina propriamente dita. Por isso, suplementar com beta alanina é mais eficaz (fisiológica e economicamente) do que tomar carnosina. Elevações intramusculares de carnisina, através da suplementação da beta alanina, tem mostrado efeitos na melhora da performance.

Estudos demonstram que os níveis de carnosina, após 28 dias de suplementação de beta alanina, aumentaram significativamente, aumentando o tempo para fadiga e aumentando massa muscular e volume de treino. Um estudo ainda mostrou que a associação da beta alanina com suplementação de creatina melhorou ainda mais performance do que a creatina sozinha. Vale ressaltar que existem 2 estudos onde não houve melhora da performance com a suplementação.

Pesquisadores do Internacional Society of Sports Nutrition publicaram recentemente (J Int Soc Sports Nutr. 2010; 7: 7 ) que a beta alanina é um ergogênico aparentemente efetivo.

Dosagens variam de 1,5 a 6g a dia, fracionado ao longo do dia.

Consulte sempre seu Nutricionista Esportivo e obtenha benefícios de uma correta suplementação em sinergia com melhores hábitos alimentares saudáveis!

Comentários

Ainda não há comentários.

O envio de comentários está fechado.