Combatendo colesterol elevado através da dieta!

11 Mai 2011

Quem não tem, provavelmente conhece alguém que tenha o diagnóstico de Hipercolesterolemia Saiba que a mudança na dieta é tão eficaz quanto o uso de estatinas – drogas mais receitadas para o tratamento do problema. A genética também é determinante, e a mesma dieta não funciona para todos, e uma consulta com Nutricionista se faz necessária.

Vários aspectos devem ser considerados quanto se trata uma pessoa com colesterol “ruim” alto: algumas delas são avaliar disbiose intestinal e como o fígado anda destoxificando o organismo. Uma avaliação detalhada pelo Nutricionista dos sinais e sintomas do paciente ajudará a intervir de acordo com a individualidade bioquímica, não apenas com o estabelecimento de um protocolo padrão! Até em crianças o diagnóstico vem aumentando.

Alguns alimentos que podem ajudar muito o tratamento da hipercolesterolemia. Aveia (especialmente o farelo) que é rica em fibra beta-glucana, azeite de oliva extravirgem ajuda a aumentar níveis de HDL, colesterol “bom”, creme vegetal com fitosteróis, alho excelente também como hipotensor, soja que tem presença dos fitoestrógenos, frutas vermelhas (como a uva escura), fonte de resveratrol, poderoso antioxidante que protege as artérias da aterosclerose, e frutas,fibras e antioxidantes de montão. A gordura poliinsaturada do tipo ômega-3, oriunda de fontes como peixes como salmão, sardinha e linhaça são fundamentais.

É de grande importância avaliar a relação na dieta entre ômega-6 e ômega-3. Atualmente a dieta do ocidente está muito aquém da ingestão de ômega-3, então devemos consumir, por exemplo, linhaça e peixe para conseguir balancear esta relação, e consumir menos alguns tipos de óleos, como de milho e girassol, que contribuem muito mais com ômega-6 na dieta, mas são pobres no ômega-3. O grande desbalanço entre essas gorduras causa um estado inflamatório no organismo, que agrava as doenças pré-existentes e aumenta risco de desenvolvimento de outras.

Existe também uma série de fitoterápicos que auxiliam no controle do colesterol, mas antes de qualquer alternativa, o ideal é modificar os hábitos de vida. Com a nutrição funcional e inclusão de atividade física é possível conseguir grandes mudanças!

Consulte sempre seu Nutricionista, médico e educador físico, e garanta que a equipe multidisciplinar o ajude a combater esse problema, que aumenta muito o risco para desenvolvimento de infarto e acidente vascular cerebral.

Comentários

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.





Memorizar dados