Iodo e Tireóide

28 Out 2015

“A IODOfobia médica pode ter causado mais sofrimento e morte humana que as duas grandes guerras juntas, deixando de prevenir patologias com doses diárias de iodo necessárias para a otimização física e da saúde mental”.
~Dr. Guy Abraham~

O Iodo é, sem dúvida, o nutriente menos estudado e compreendido do corpo humano. O seu uso, como simples elemento para tratar uma doença específica, ocorreu no início do século XX e foi usado pela primeira vez para tratar o bócio tireoidiano.

O Iodo é essencial para o metabolismo da tireóide, mamas, mucosa gástrica e próstata. É também um poderoso eliminador de toxinas do organismo e modulador do sistema imune. A sua deficiência está correlacionada a diversas doenças, como: aumento de risco de câncer de mama, próstata, endométrio, ovários, tireóide e estômago, aumenta a formação de cistos que progridem para nódulos e formam fibroses que podem evoluir para tumores e hipertrofia da tireóide, à tumores nas mamas, útero, ovários e próstata.

A deficiência de iodo é responsável pela hipertrofia da tireóide, que começa a crescer na tentativa de captar mais iodo do corpo. O bócio pode aumentar até o tamanho de uma laranja ou maior ainda na face anterior do pescoço, por baixo do queixo. Os distúrbios por deficiência de Iodo são problemas sérios de saúde, como: bócio, abortos prematuros, retardamento mental, cretinismo, mal de Parkinson, etc.

Ué, mas e o Iodo não é aquele que tem no sal? Iodo não faz mal à saúde? Diferente do que muitos imaginam, a quantidade de Iodo contida no sal é absolutamente insuficiente para manter nossa saúde. Estudos mostram que sofremos uma escassez deste mineral em nossa dieta e ele é um importante agente na prevenção de diferentes tipos de câncer, além de fazer parte ativa de todos os processos da glândula tireóide (juntamente com o selênio, ferro, manganês, vitamina D), ou seja, sem Iodo (e uma correta captação desse nutriente pelo seu corpo) não há tireóide que funcione corretamente! (A idéia de que o Iodo faz mal é um mito devido ao Iodo radioativo, ok?).

Ausência de suor e pele super seca são sinais de escassez de Iodo e hipofunção da tireóide. O contrário não tem valia, mas esta falta sim. Mas claro, seu médico e nutricionista irá te ajudar na detecção da deficiência e correção do Iodo se for necessário. Como o Iodo também pode estar concentrado nas glândulas parótida e submandibular da boca, a deficiência de Iodo aqui pode resultar em boca seca. E quanto maior é a deficiência de Iodo, maior a quantidade de cistos ovarianos na produzirá a mulher.

O Iodo também pode estar concentrado no tecido do estômago, e sua falta se manifesta como acloridria (falta de produção de ácido digestivo, o HCL), levando á dificuldade em digerir proteínas e a absorver vitamina B12. O Iodo é utilizado pelas células do estômago, também conhecidas como células parietais, para concentrar cloreto, elemento que é necessário para a produção do ácido clorídrico (ácido digestivo). A falta prolongada de ácido clorídrico (acloridria) provoca uma maior incidência de câncer de estômago. O Iodo também se encontra concentrado nas glândulas lacrimais do olho e, a falta de Iodo pode causar o mal do olho seco.

Há autores que alegam que mesmo quem toma hormônios tireoidianos e não apresenta os anticorpos na tireóide precisa fazer suplementação de iodo, pois o seu consumo pela glândula será muito maior. Caso contrário, o organismo vai utilizar o iodo de outras partes do corpo.

As melhores fontes de iodo na dieta são os peixes como bacalhau e atum, algas marinhas como alga nori e espirulina, e frutos do mar como camarão e ostras. Mas conforme trabalhos mostram, nem sempre a dieta é suficiente pra suprir as necessidades de Iodo na dieta.

Flúor (aquele presente na pasta de dente e na água) e Cloro (presente na água e em adoçantes a base de sucralose, e em base de muitos medicamentos, como alguns antiácidos, antidepressivos, antifúngicos e etc) impactam na absorção de Iodo também. Há purificadores de água no Brasil que ajudam muito nisso, quanto falamos de água (e você pode conhecer mais no vídeo TUDO SOBRE ÁGUA que está no meu canal youtube.com/nutribruxa). Mas veja como a interação com a absorção de Iodo é muito grande!

Toxinas ambientais e Iodo

Algumas substâncias químicas interferem demais na captação de iodo pela tireoide, como o perclorato. Este químico é usado para produzir combustível para foguetes e outros explosivos e pode ser encontrado em muitos frutos e produtos lácteos. Embora seja difícil evitar o perclorato em alimentos, as pessoas podem reduzir os efeitos da química, certificando-se de consumir suficiente iodo na dieta.

Outro produto químico é o ftalato, que são usados em plásticos para tornar o material mais flexível e em muitos produtos como agentes de dissolução. Eles podem ser encontrados nos detergentes, roupas de plástico (impermeáveis) e até mesmo produtos de higiene pessoal, como sabonetes, xampus e esmaltes. Estudos em animais sugerem que os ftalatos podem afetar o sistema reprodutivo, contudo o efeito da exposição a baixos níveis de ftalatos sobre os seres humanos é desconhecido. Para diminuir a exposição ao ftalato, as pessoas podem evitar recipientes de comida de plástico e filmes plásticos feito de PVC e evitar produtos de cuidados pessoais que listam “fragrância” como um ingrediente e evitar uso de esmaltes.

Interação alimentos X Iodo

As isoflavonas da soja (genisteína e daidzeína) interferem na reutilização de Iodo pela glândula, além de inibir ação de medicações tireoideanas daqueles que já fazem uso. O cloro presente na água que bebemos e em adoçantes como sucralose interferem na captação de Iodo da glândula, podendo levar à deficiências e piorar a já presente.

Batata doce, mandioca (assim como a goma de tapioca) e crucíferas como brócolis, couve flor, couve folha (cuidado com a frequência de suco verde), repolho, nabo e outros alimentos podem interferir na captação de Iodo pela tireóide também. Evite os excessos! Não precisa cortar da alimentação! E no caso das brássicas, isso acontece em sua forma crua. Na sua forma cozida, a substancia que interfere na captação de Iodo (chamado glicosinolato) perde a sua toxicidade para a tireóide, por assim dizer assim.

Concluindo, acredito que você deva fazer uma avaliação completa em exames de sua tireóide e consultar um nutricionista para ajustar sua dieta e suplementação. Há um aumento crescente de problemas na tireóide e a prevenção é fundamental. Lembrando que a andropausa e a menopausa também interfere no funcionamento da tireóide, ok?

E claro, a superdosagem de Iodo na dieta e suplementação, e sua saturação no corpo, leva a outros problemas, por isso, nada de se suplementar sem devida orientação!

Coma algo saudável por mim e respeite a individualidade bioquímica.

Comentários

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.





Memorizar dados