Nutrientes-chave pra uma tireóide saudável

07 Ago 2017

Muitas pessoas sofrem de sinais e sintomas de uma tireóide mais “cansada”, como queda na concentração e no poder de assimilação de informações, dificuldade em perder peso mesmo seguindo treinos e dieta, menor produção de energia pra qualquer tarefa no dia a dia, queda acentuada de cabelos, problemas com o sono, sensação de muito frio a toda hora e etc.

Além de uma bateria de exames necessários, mesmo quem já tem o diagnóstico do hipotireoidismo, é importante lembrar que alguns nutrientes são fundamentais pra que a tireóide realmente responda ao tratamento. Saiba mais no vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=IuKiOBOg1DA Além do iodo, há outros minerais super importantes pra saúde uma tireóide turbinada e funcional:

  1. Ferro Grande co-responsável pela formação do sangue e de transporte de oxigênio pelo corpo todo. Sua deficiência leva a anemia e a um impacto extremamente negativo na função da tireoide. Você já checou seus níveis de ferro no sangue? Costumo pedir, além do hemograma, ferritina e ceruloplasmina aos meus clientes.

  2. Selênio Este nutriente fortalece diretamente o nosso sistema imunológico, portanto, previne uma série de doença! Altamente antioxidante e que estimula a produção natural de hormônios da tireoide. Há diversas fontes alimentares, dentre elas, a castanha do Pará e a gema de ovo. Ajuste a quantidade do mineral com seu Nutricionista após consulta individualizada.

  3. Vitamina D Pesquisadores da UCLA (EUA) tentaram mostrar que a baixa vitamina D faria um problema auto-imune da tireoide piorar. Descobriu-se que a falta de vitamina D contribui para o aumento do risco em desenvolver hipotireoidismo e piora quadros de doenças autoimune.

Um estudo foi publicado na revista Cellular & Molecular Immunology em 2011. Nesse estudo, os pesquisadores recrutaram 50 pacientes com distúrbios da tireoide auto-imune (principalmente tireoidite de Hashimoto), 42 pacientes com distúrbios da tireoide não autoimunes e 98 indivíduos saudáveis. Para cada um destes participantes, os pesquisadores mediram os níveis de vitamina D no soro, os níveis de anticorpos antitireoidianos e funções da tireoide. Os resultados deste estudo mostraram que a deficiência de vitamina D foi mais comum em pacientes com desordens autoimunes da tireoide (quase 3 vezes mais comum). Mesmo que está deficiência fosse também comum entre os pacientes que sofrem de distúrbios da tiroide não autoimunes, a prevalência foi menor do que no grupo de pacientes com distúrbios da tiroide auto-imunes. A deficiência de vitamina D também foi fortemente correlacionada com anticorpos antitireoidianos. Se quiser uma tireóide turbinada, cheque seus exames de vitamina D! Dependendo do grau da deficiência, precisará entrar com uma suplementação específica, ok?

Consulte sempre seu Nutricionista e coma algo saudável por mim!

Comentários

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.





Memorizar dados