Nutrição na prática

Estresse, anemia por deficiência de ferro, uso de drogas, fumo, e alimentação pobre em nutrientes essenciais afetam demais a saúde dos fios. Investigar intolerância e alergia alimentar também se faz necessário, ok? Por incrível que possa parecer, o uso de formulações prontas de polivitamínicos pode levar à queda de cabelo (e a outros problemas), por causa de uma interação entre os elementos. Você toma um polivitamínico achando que pode ajudar, mas pode levar a deficiência de nutrientes.
Aqui vão dicas de como congelar as marmitinhas com os alimentos já cozidos. Isso facilitará sua vida, mas exige organização, planejamento e um pouco de tempo para a compra dos ingredientes e o preparo de tudo, mas valerá a pena!
Um tipo de açúcar derivado do milho, com altíssimo teor de frutose, o HFCS é um “alimento” muito barato e muito doce, que começou a ser usado em meados de 1980 pela indústria alimentícia americana.
Vitaminas do complexo B são essenciais na geração de energia de seu corpo, pois ajudam na conversão do alimento em ATP, que é a forma de energia usada em suas células. Mas claro, não significa que você precisa delas em excesso, precisa apenas delas em quantidades suficientes para que os processos metabólicos ocorram com eficiência.
A proteína texturizada de soja (conhecida popularmente como “carne de soja) é um alimento muito desnaturado, processado em altas temperaturas e pressão. Não vejo benefícios à saúde, e por ser rica em fatores antinutricionais, depleta nutrientes da dieta, podendo levar a deficiências. Fora toda fermentação que ela causa!
De acordo com alguns trabalhos, o óleo de coco pode prevenir doenças cardiovasculares, balancear seus hormônios, matar bactérias/fungos/protozoários e ajudar no sistema imune. Por ser fonte de triglicerídeos de cadeia média (TCM), um tipo de gordura que ajuda demais no fornecimento de energia,  alguns artigos usando o TCM (e não o óleo de coco em si) mostram benefícios em auxiliar queima de gordura e diminuição de peso, obviamente associado com dieta e atividade física.O óleo de coco contém ácido láurico, que parece ter efeito contra micro-organismos patogênicos, incluindo bactérias, vírus, fungos e protozoários, ao se converter em monolaurina dentro do corpo. E age contra a cândida, giárdia, Helicobacter pylori, dentre outros. A monolaurina só atua contra bactérias e microorganismos patogênicos e não afeta a microbiota probiótica. E antes que você me pergunte, te respondo: Sim, o óleo de coco é uma gordura saturada, aquela considerada ruim para o coração, quando consumida em altas quantidades. Mas nem todas as gorduras são iguais, e o óleo de coco é uma exceção à regra das gorduras saturadas.  Ele é saturada, mas não é aterogênica, conforme mostram alguns trabalhos, não favorece o entupimento das artérias (diferente do consumo de gorduras aparente de carnes, da manteiga, etc. Porém, esses dados ainda não são conclusivos, ok?  Eu particularmente não prescrevo para pacientes com hipercolesterolemia ou em risco para desenvolver algum problema cardiovascular. E se você procura um óleo para usar em altas temperaturas, esse é o melhor óleo que você pode usar, já que ele é super estável, e não se oxida ou rancifica tão fácil quanto outros óleos. O “milagre” acerca o óleo de coco e emagrecimento surgiu de alguns com o uso do TCM, a maior fonte de gordura do óleo de coco, ter contribuído com queima de gordura, de peso e de medidas corporais.  Porém, mais uma vez, trabalhos ainda não são conclusivos a respeito. Concluindo: ainda há muito o que estudar sobre o óleo de coco e seu impacto na saúde. Certamente ele possui vantagem em seu uso na culinária, por tolerar altas temperaturas, por ser ótimo agente para prevenir e tratar candidíase e ajudar na imunidade, mas quanto à queima de gordura e perda de peso, ainda os dados não são conclusivos. Mesmo sendo um alimento, não carece de efeitos adversos, então: CONSULTE SEMPRE SEU NUTRICIONISTA!
Cansaço crônico é uma queixa cada vez mais comum na prática clinica do Nutricionista, e sabemos que a dieta tem papel fundamental nisso. Minerais como magnésio, zinco, selênio e ferro não podem faltar, já que desempenham papéis fundamentais.
O gengibre possui propriedades destoxificantes, antiinflamatória, antialérgica e até de ação expectorante sobre o trato gastrorespiratório, ajudando a reduzir o excesso de muco. Ajuda a combater os sintomas da TPM e possui ação antioxidante. O limão combate as fermentações e os gases, tão comuns em problemas digestivos, de mastigação inadequada e de consumo excessivo de açúcar. Ajuda a eliminar toxinas e é uma fruta muito refrescante, ótima opção para dias quentes.
Quem diria essa especiaria pode ajudar aos que sofrem com muita vontade de comer doces, pode fazer parte de dietas dos que buscam perder peso e perder gordura corporal.
Trabalhos mostram que a pipoca reúne muitos antioxidantes, assim como as frutas e verduras, e pode ser uma aliada na guerra contra os radicais livres, aquelas moléculas instáveis e perigosas que atacam as células e provocam desastres que vão de envelhecimento precoce à câncer. E por ser rica em fibras pode ajudar a saciar a fome, e fazer parte de uma dieta saudável sim!