Dicas de Nutrição para gestantes

14 Abr 2011

Aproveitando que ministrei uma palestra no SESC sobre Peculiaridades da Nutrição da Gestante, posto aqui algumas dicas básicas para que todos aproveitem e repassem a quem possa interessar.

A gestação é um momento muito especial na vida da mulher, e requer alguns cuidados com a alimentação, já que nessa fase pensamos também nos cuidados com a formação e desenvolvimento do bebê. Nessa fase, o corpo da mulher passa por uma série de alterações que o deixarão pronto para abrigar uma nova vida.  Garantir o adequado crescimento do feto e o estado nutricional materno desempenha um papel fundamental no desenvolvimento do bebê e prevenção de complicações na gestação.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o ganho de peso durante a gravidez deve ser gradual, totalizando de 9 as 12,5 kg. Nunca devem ser feitas dietas de emagrecimento, mesmo que a gestante esteja muito acima o peso! O excesso de peso, no entanto, pode levar a sérios problemas de saúde para a mãe e ao bebê, e adequado hábito alimentar, inclusão de exercícios físicos e controle do estresse devem andar sempre juntos, sempre com acompanhamento do medico, Nutricionista e educador físico.

A pré eclampia (aumento de pressão arterial), diabetes gestacional e o hipotireoidismo são algumas das complicações que podem ocorrer decorrente do sobrepeso ou obesidade materna.

Existe uma necessidade calórica aumentada no período gestacional, de aproximadamente 300 Kcal , o que significa que NÃO precisamos comer por dois, como muita gente ainda acredita. Existe uma necessidade maior de vitaminas e minerais, que é preciso ser suplementado além do fornecido pela dieta. Essa suplementação geralmente é dada pelo médico que acompanha a gestante.

Algumas dicas básicas que podem ajudar muito a saúde da gestante são essas:

  1. FRACIONAR a dieta em várias e pequenas refeições ao dia: ajuda no fornecimento de nutrientes, melhora processo digestivo, previne azia e má digestão;
  2. Evitar deitar-se após se alimentar para evitar refluxo e mal estar;
  3. Evitar consumo de comidas salgadas ou agregar muito sal à comida. Isso vale também para temperos prontos, que geralmente vêm carregados de sódio, glutamato monossódico, conservantes e afins que podem reter líquidos causando sensação de peso e mal estar, além de contribuir para o aumento da pressão arterial;
  4. Observe sempre o funcionamento intestino, pois é comum ocorrer prisão de ventre (obstipação). Consuma diariamente fibras (através das frutas, verduras, legumes, sementes, aveia, quinua, linhaça, alimentos integrais) e hidrate-se de maneira correta;
  5. Dietas desbalanceadas podem levar à má formação de placenta, e ainda atraso no desenvolvimento motor, celular e nervoso da criança, além de predispor a depressão pós-parto e desvitalização da mãe após nascimento do bebê. A diminuição drástica no consumo de gorduras, por exemplo, diminui a absorção de vitamina A, D, E e K. A vitamina A é responsável pela formação das mucosa crescimento ósseo, e de tecidos, a vitamina D na formação dos ossos e outras funções primordiais, a vitamina E age como antioxidante e anti-hemorrágica e a vitamina K como controladora da coagulação sangüínea;
  6. Você sabia que o gengibre pode ajudar muito na azia da gestante? Converse com seu Nutricionista e médico a respeito…

Consulte sempre seu Nutricionista, antes mesmo de pensar em se tornar mamãe, ok?

Comentários

Ainda não há comentários.

O envio de comentários está fechado.