Espinafre: benefícios e o tal do ácido oxálico

01 Fev 2015

Um dos alimentos de origem vegetal com mais cálcio e ferro que existem, e contém a clorofila (pigmento que dá cor verde ao vegetal), muito importante na purificação do sangue neutralizando toxinas, estimulando a produção de hemácias, melhorando a circulação e produção de energia.

Possui nitrato na sua composição, sendo interessante às pessoas que buscam mais disposição para a atividade física, melhorando toda a perfusão sanguínea e, consequentemente, melhor oxigenação e nutrição muscular. É fonte de glicolipídeos, substância que protege contra o câncer. São ótimos acompanhamentos de leguminosas (feijão, grão-de-bico, lentilha), assim como os tubérculos (batata, mandioca) e os cereais como arroz e massas como recheio de tortas e panquecas, sendo o espinafre uma opção saudável, de baixa caloria e de boa qualidade nutricional. Pode ser base de sopas e cremes, assim como quiches. Mas é importante você saber que o espinafre contém um alto teor de ácido oxálico, um conhecido fator “antinutricional”, que tem sido usado para descrever compostos ou classes de compostos presentes numa extensa variedade de alimentos de origem vegetal, que quando consumidos, reduzem o valor nutritivo dos alimentos. Eles interferem na digestibilidade, absorção ou utilização de nutrientes e, se ingeridos em altas concentrações, podem acarretar em efeitos danosos à saúde. Os taninos, por exemplo, presentes nos chás preto e mate, podem causar danos à mucosa intestinal e interferir na absorção de ferro, glicose e vitamina B12.

Quando o espinafre for cozido, refogado, ou cozido no vapor (antes de ser usado em suco verde, por exemplo), o oxalato presente não poderá ser metabolizado pelo organismo, e é então, excretado pela urina. A elevada quantidade de oxalato na urina aumenta o risco da formação de cálculos de oxalato de cálcio nos rins, pois o oxalato de cálcio é pouco solúvel na urina, podendo também causar irritações na mucosa intestinal. E além disso, diminui absorção de cálcio e de ferro. Então, mesmo o espinafre ser fonte desses 2 nutrientes, se consumido cru, a chance de você absorvê-los cai muito.

Outras fontes de oxalato são: nozes, cacau, tomate, acelga, folhas de couve flor e de brócolis, e beterraba.

Considerando-se os aspectos “antinutricionais” dos espinafres precisamos apenas considerar o cuidado com a frequência e quantidade, especialmente crus, para crianças e pessoas com problemas renais. Indivíduos com inflamações gástricas e intestinais deverão excluir esse alimento do cardápio para não piorar o grau de lesão e inflamação.

Consulte sempre seu Nutricionista e viva a individualidade bioquímica.

Comentários

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.





Memorizar dados