Nutrição e doenças da tireóide

10 Ago 2010

Você já se perguntou como a Nutrição pode auxiliar pessoas que querem prevenir ou tratar problemas da tireóide?

Pois então, um Nutricionista pode ajudar e muito, dando ferramentas para melhorias na dieta, excluindo alimentos que sobrecarregam funcionamento da tireóide, detectando possíveis alergias ou intolerâncias alimentares, e até fazer uso de suplementos alimentares para equilibrar o organismo, corrigir deficiências e destoxificar fígado (para melhorar produção de hormônios da tireóide).

Os hormônios produzidos pela tireóide são essenciais para a manutenção do metabolismo normal: interferem no metabolismo da água, proteínas, carboidratos, lipídeos e minerais (termogênese ) e exercem seus efeitos sobre praticamente todos os sistemas e órgãos do corpo. Sendo assim, a redução da produção de hormônios pode diminuir a capacidade metabólica em mais de 40% (=entenda também como dificuldade em perder peso).
Deficiências de iodo (mineral importante para a produção de hormônios) e de selênio (essencial para bom funcionamento da tireóide) contribuem para as desordens tireideanas.

O questionamento maior fica ao redor da soja, já que as isoflavonas presentes podem provocar alterações de alguns hormônios tireoideanos que podem inibir efeito das medicações prescritas pelos médicos para ajudar no tratamento.

Os efeitos adversos da soja na tireóide vieram de um estudo conduzido no Japão, que mostrou que o consumo de 30g de grãos de soja cozidos causou disrupção tireoidiana em apenas 30 dias. Os efeitos da soja em humanos ainda estão sendo pesquisados, mas há muitos estudos em animais mostrando efeitos diruptores. Enquanto os estudos não determinam o exato efeito dos produtos à base de isoflavonas da soja no metabolismo de hormônios tireoidianos, o consumo excessivo de soja deve ser visto com atenção e orientado pelo nutricionista.

Intestino (mais uma vez ele!) tratado melhora a absorção de nutrientes. Um intestino em disbiose faz com que muitos alimentos mal digeridos atinjam a corrente sanguínea, produzindo ataque do organismo contra as mesmas, gerando reações auto-imunes, como as tireoidites!!!

Além disso, o desequilíbrio da microbiota (bactérias intestinais) impede a boa absorção dos nutrientes tão necessários para a função tireoidiana.

É preciso checar a intolerância ao glúten em todos os casos de tireoidite, como a de Hashimoto. A retirada do glúten da dieta de muitos pacientes com tireoidite promove melhora da função tireoidiana e, às vezes, reversão total da autoimunidade.
O mecanismo que explica a tireoidite a partir de uma sensibilidade ao glúten é que a molécula do glúten, ao ser absorvida pela mucosa permeável, gera a produção de anticorpos contra ela, o que provoca inflamação (produção de citocinas) em diversas regiões do organismo e, também, na tireóide.

Consulte sempre seu Nutricionista!

Comentários

Ainda não há comentários.

O envio de comentários está fechado.