Saiba mais sobre o tofu

10 Mai 2014

Tofu é popularmente chamado de “queijo de soja” e não contém colesterol, nem glúten, nem lactose, nem proteína de leite de vaca,  e é baixíssimo em gordura saturada. É o único alimento vegetal que contém os 8 aminoácidos essenciais. São boas fontes de fibras, ferro, cálcio e vitaminas do complexo B.

A proteína da soja, no geral, é divulgado na mídia como “substitutos saudáveis aos de origem animal”, mas segundo dados científicos, estes podem ter efeitos bons ou maus, a depender da forma em que sejam ingeridos, da quantidade, e do indivíduo que os consome. A soja contém uma proteína altamente alergênica (sim, como a proteína do leite, ela também é alergênica, viu?!), grandes concentrações de fitatos (substâncias que inibem a absorção de nutrientes) e fitoestoestrógenos, que são compostos capazes de se ligarem aos receptores dos hormônios femininos, mas com ação mais fraca.

  Existem situações que vem sendo estudadas na literatura onde a ação de fitoestoestrógenos pode ser benéfica, como em menopausa e osteoporose. E outras, em que esta traz efeitos indesejáveis, como puberdade precoce em meninas e ginecomastia em meninos. Consumido de forma exacerbada, soja e seus subprodutos podem ter impacto negativo no funcionamento da tireóide. Alimentos à base de soja floculados (como o tofu) ou fermentados (como o missô, shoyo, natô e tempeh) são mais interessantes, pois possuem menor teor de fatores antinutricionais, e no caso dos fermentados, menor potencial alergênico da proteína.

  A “segunda geração da soja” inclui produtos que foram extraídos usando processos químicos e outras formas de extração, como a proteina isolada de soja, farinha de soja e a proteina texturizada de soja (PTS). E são usados muitas vezes em alimentos industrializados como hamburgueres vegetarianos, fórmulas infantis e suplementos nutricionais. Apesar de algumas pesquisas superestimarem a quantidade de soja consumida por asiáticos, há evidências cumulativas de trabalhos confirmando que a dieta deles contem maior quantidade de isoflavonas e lignanas (outro tipo de fitoestrógeno) quando comparado á dietas ocidentais. Estudos também mostram que, quando os orientais imigram para o ocidente, como aos Estados Unidos, e acabam adotando uma dieta mais ocidental, a taxa de doenças nesse público aumenta. Enfim, há prós e contras quanto ao consumo de soja na dieta.

  Eu como tofu de vez em quando, e também coloco de maneira ponderada na dieta de meus clientes, até mesmo dos vegetarianos. Sempre dou preferência à soja fermentada, como missô e tempeh, e não estimulo o consumo de proteína texturizada de soja. Reforço que equilíbrio deve ser a base de tudo: na dieta, nos suplementos, nos treinos, na vida.

  Esse post é meramente informativo, você precisa consultar sempre seu Nutricionista para checar se essas informações farão sentido em sua dieta e mudança de hábito. Sempre leve em consideração a individualidade bioquímica, ok?

Comam algo saudável por mim, seguidores!

Comentários

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.





Memorizar dados